anjinhos

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

CAMINHOS PARA DEUS - O Trabalho com os Anjos de Cura.

“Minha religião consiste numa admiração humilde do Espírito Superior que se revela a si mesmo nos menores pormenores, que estamos aptos a captar com nossas fracas e irrelevantes mentes. A profunda certeza de um Poder Superior que se revela no Universo, difícil de ser compreendido, perfaz minha idéia de Deus. (…) A experiência cósmica religiosa é o estímulo mais forte e elevado da investigação científica”. EINSTEIN. [Cf. 'Além da Vida’, p.49. nr.31. Dez.2007].

‘O Trabalho com os Anjos na Cura’ - (Alma Daniel, Timothy Wyllie e Andrew Ramer).
“Quando convidamos os anjos para participar da nossa vida, começamos a compreender que todos os caminhos podem nos levar a Deus. A doença é um caminho que nos conduz ao despertar espiritual; a dependência de drogas também”.

Como se fossem alarmes, essas situações fazem tocar sinos de aviso para nos alertar de que estamos atolados ou fora do curso, e que só podemos avançar no caminho espiritual depois que acordarmos. Para progredir no nosso desenvolvimento, precisamos descobrir o bloqueio e eliminar a causa. Precisamos curar num nível profundo.

Criação da realidade
“Cada pessoa, / Todos os fatos de sua vida, / Ali estão porque / Você os pôs ali. / O que fazer / Com eles cabe a você / Resolver”). [Cf. ‘Ilusões’, p. 116. Richard Bach. Record].

Um sinal de que estamos no caminho da Consciência Superior é o reconhecimento de que criamos a nossa própria realidade. Tudo o que trazemos para nossa vida – e isso inclui situações que nunca sonhamos desejar! – é uma oportunidade, às vezes muito desafiadora de adotar uma ação correta.

Essa compreensão não implica sentimento de culpa. E, no entanto, quantas vezes fomos levados a nos sentir culpados por termos tido uma doença ou sido dependentes de drogas!

Os anjos dizem que tudo o que acontece na nossa vida é um ensinamento, uma lição... O câncer já é suficientemente mau sem que nos culpemos por ter desenvolvido a doença. Todavia, equiparamos doença a imperfeição. Quanto mais doentes, pior estamos.

É aqui que a presença terapêutica dos anjos é tão importante, pois os anjos nos trazem uma amorosa aceitação, sem nenhuma crítica. Eles estão aqui para ajudar a encontrar a solução para as doenças e problemas que trouxemos para a nossa vida e a recuperar o equilíbrio.

Com a ajuda de nossos anjos, aprendemos a abençoar a lição, em vez de amaldiçoar a nossa situação. E aquilo que abençoamos melhora.

Nenhuma culpa

A sintonia com os nossos anjos nos permite eliminar a vergonha e a culpa pela nossa condição e dar prosseguimento à cura. Em vez de tentar negar a doença, ou nos sentirmos mal em relação a ela, tomamos uma atitude responsável que irá nos libertar e curar.

Quando trazemos os anjos para ficar ao nosso lado, nós nos tornamos receptivos para a maneira angelical de resolver uma determinada situação, sem nenhum sentimento de culpa ou vergonha. Não importa o que tenhamos feito, os anjos nos fazem saber que ainda somos merecedores de aprovação.

Eles não nos criticam e, assim, quando nos juntamos a eles, aprendemos também a não nos criticarmos. Isto libera então uma energia que pode ser usada na recuperação e na cura. Isto é verdadeiro quer estejamos lidando com câncer, AIDS, dependência de drogas [que inclui o vício de fumo e bebidas alcoólicas] ou qualquer uso abusivo de alguma coisa, seja no nível físico, mental, emocional ou sexual.

A perspectiva espiritual
Os anjos não nos curam. Eles nos ajudam a nos curarmos. A presença deles permite que qualquer um de nós, independentemente de qual seja a doença ou a dependência específica, possa curar os seus sentimentos de solidão e distanciamento. Não estamos sós.

Depois de ligar-se ao seu anjo, você nunca mais se sentirá sozinho. E você não precisará fazer a cura sozinho. Os anjos estão com você e fazem parte da sua equipe pessoal de cura, a qual pode incluir terapeutas, médicos e outros especialistas, além de membros de um grupo de recuperação.

E assim como cada um desses auxiliares lhe dará uma determinada opinião ou irá sugerir determinada abordagem para a efetivação da sua cura, os anjos irão ligá-lo a uma perspectiva espiritual, para que você possa compreender a importância e o significado da condição que você manifestou.

Caminhos para Deus
“Deus perto está, /Difícil de captar. /Mas onde há perigo, cresce /O que salva também”… (‘Patmos’. ‘Símbolos da Transformação’ § 630. Carl Jung). “Quando crises vindas de fora ou de dentro atingem uma profundidade onde ‘o perigo é grande’… Aí ‘Deus está próximo’ e o homem encontra o vaso materno do renascimento, o lugar de germinação, onde a vida pode renovar-se. Pois a vida continua … e pode mesmo ser vivida com a maior intensidade se a retrospecção para o que findou não tolher o passo”. [Cf. ‘Símbolos da Transformação’, § 630. C. G. Jung. Vozes].

As dependências podem ser o caminho escolhido por muitas pessoas para encontrar Deus. É o Eu Superior [o ser interior] em ação, orientando a pessoa a agir da maneira que melhor atenda às necessidades da sua Alma.

Considerando a existência da AIDS, dos abusos sexuais e de outras passagens difíceis da vida, você pode achar que esta é uma maneira muito cruel de se conseguir isso. Os nossos anjos dizem que a dureza ou severidade é proporcional ao nível de obstinação da alma – e, em última análise, da sua força. Pode-se tirar um pedregulho do solo com os dedos ou com uma colher de pedreiro. Para retirar um matacão, o melhor é usar dinamite.

Para quebrar o ciclo de dependência, a “dinamite” às vezes se manifesta na forma de acontecimento dramático, como um acidente, doença ou uma catástrofe. Isto acontece com tanta freqüência que as pessoas costumam acreditar que alguém precisa chegar ao fundo do poço antes de poder começar a se recuperar. Embora este não seja necessariamente o caso, quando a “dinamite” explode é porque não existiu outra maneira de chamar a atenção da pessoa. O acontecimento funciona como um aviso de advertência. [Φ]. [Extraído de ‘Pergunte ao Seu Anjo’, p. 226/28. Pensamento].

Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).
Rio das Ostras, 31 de janeiro de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário