anjinhos

sábado, 21 de dezembro de 2013

Anjos & A Experiência Direta do Sagrado. (Joan Borysenko.Ph.D.).


Clic nos anjinhos e descubra o seu Anjo da Guarda!Anjos da Guarda! Clic no Anjinho e veja o seu!Conheça o Anjo da Guarda de seu aniversário. (Clic)
Música suave toca a alma e atrai a presença dos anjos... Selecionamos algumas para você ouvir durante a leitura. Clic, minimize-as, e reabra o portal:
Guardião do Dia: ‘IEIALEL’ (ou 'Lieialel') – "Deus que acolhe as gerações". Protege os nascidos em 21/12, 04/03, 16/05, 28/07 e 09/10. "Este anjo ajuda a tirar a tristeza e a confundir os maldosos e as falsas testemunhas. Protege contra a maldade, principalmente os males dos olhos. Influencia os armeiros, serralheiros e todos que trabalham, comercializam e negociam produtos de ferro"... "Quem nasce sob esta influência se distinguirá por sua coragem e franqueza. Terá proteção do planeta Vênus e dos signos correspondentes, Touro e Balança. Será considerado uma pessoa lúcida, que decide com clareza de expressão todas as situações complicadas ou comprometedoras. Franco e com temperamento amoroso, terá gosto por flores, ornamentos e pinturas bucólicas. Otimista, ama a verdade e a defende para que tudo se realize na mais perfeita ordem". [Fonte: 'Anjos Cabalísticos' e 'A Magia dos Anjos Cabalísticos'. Monica Buonfiglio].     
'ARCANJOS': Os oito anjos desta categoria são orientados e regidos por um nono, o Príncipe-Arcanjo Miguel. "São responsáveis pela transmissão de mensagens importantes e trabalham a favor da cooperação e compreensão. Asseguram os bons relacionamentos, a sabedoria e os estudos... Já os seus protegidos podem ser excelentes escritores ou arquitetos. São pessoas religiosas e adoram cuidar do corpo. Para ancorar em casa um arcanjo é preciso ter vasos de4 flores, folhagens variadas, tudo muito colorido. Talvez por isso seus protegidos gostem de usar na decoração de roupas e utensílios do dia a dia estampas com flores e presentear os amigos com vasos de flores, violetas, flores silvestres, etc.".  [Fonte: 'Tudo o Que Você Queria Saber Sobre Anjos'. Claudia Maria Janssen. Universo dos Livros]. Clic e saiba mais: 'Ieialel' - 58º Anjo. Categoria 'Arcanjos'. (viverempaz.com).  
“Ninguém nasce para sofrer; nasce para aprender”. (Campos de Raphael).
 As mais belas imagens visuais de
Mensagem de Natal! 

 Anjinhos & Anjo de Natal
"Se Cristo nascer mil vezes em Belém, e não em vossos corações,
permanecereis extraviados".
(Ângelus Silesius).
MENSAGEM DE NATAL: Em 'O Evangelho da Vida Perfeita', o Anjo instrui a Maria: "não comerás carne, nem beberás bebidas fortes, pois a criança será consagrada a Deus ainda no  ventre de sua mãe"... E, Jesus: "Mantende vossas mãos afastadas do derramamento de sangue, e não permitais que qualquer alimento de carne entre pela vossa boca, pois Deus é justo e magnânimo, tendo ordenado que o homem viva somente de frutas e sementes da terra"... Então, alimente-se de modo sagrado no Natal: coma nozes, frutas e vegetais. Evite álcool e rejeite carnes de animais e aves;  sua carne está impregnada de pavor e sofrimento nos abatedouros e sobrecarregam nossas almas. "Vivei e deixai viver!"  Deus é Luz, Energia-Amor quântica, presente no âmago de tudo no Universo, seres e animais. E o Natal simboliza o nascer da Luz em nossos corações!
Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).

A Experiência Direta do Sagrado – Joan Borysenko. Ph.D.

 

“Não fique triste nas despedidas. Uma despedida é necessária antes de vocês poderem se encontrar outra vez... E se encontrar de novo, depois de momentos ou de vidas, é certo para os que são amigos”. (Richard Bach). [Cf. 'Ilusões', p. 144. Record].


“Desde o início dos tempos os místicos falam sobre experiências de luz e os milagres delas advindos. Eu mesma tive vários pacientes que viveram experiências de luz [em outras palavras, angélicas], e alcançaram curas físicas ou emocionais que resultaram delas”.


Não há meio possível da ciência estudar essas coisas. Vamos dizer que são anticientíficas porque não existem métodos?! Não. Eu penso que tais coisas se sustentam por si mesmas e o julgamento final de sua utilidade é se ajudou a pessoa a se tornar mais amorosa, mais inteira, mais produtiva de alguma maneira, e não precisamos da ciência para provar isso.


Uma experiência pela qual passei, e que a ciência jamais será capaz de validar, diz respeito à morte de minha mãe. Na noite em que ela estava para morrer eu me sentava a seu lado no hospital. Eram em torno de três horas da manhã. Meu filho Justin, que na época tinha vinte anos, estava sentado no lado oposto da cama. Estávamos ambos meditando e rezando para minha mãe; o ambiente estava bastante quieto.


De repente, tive uma visão – e, acredite-me, eu não sou do tipo de pessoa propensa a visões – mas eu tive uma. Naquela visão eu era a mãe grávida parindo um bebê, mas também era simultaneamente o bebê. É uma coisa espantosa ter consciência de ser duas pessoas ao mesmo tempo...


Como bebê eu estava saindo de um túnel escuro e mergulhei em uma atmosfera de luz inebriante – justamente a luz que as pessoas narram quando têm a experiência de quase-morte.



Naquele momento minha vida inteira com minha mãe fez sentido, e pareceu perfeito que ela tivesse me colocado neste mundo; naquele instante pareceu que eu havia parido a sua alma de volta, para fora do mundo E senti imensa gratidão por ela...


Quando abri meus olhos, o quarto estava literalmente cheio de luz. Você poderia vê-la, poderia ver partículas de luz. Olhei para o outro lado da cama e lá estava o meu filho chorando, as lágrimas escorrendo de seus olhos. Ele me olhou e disse: “Você pode ver esta luz no quarto?” Eu assenti e ele continuou: “È a vovó, ela está segurando a porta da eternidade aberta para nós, para que possamos ter um vislumbre”.

Agora, você toma uma experiência como essa, o que a ciência vai dizer? Quando uma pessoa tem uma experiência interna que é transformadora, não precisamos de nenhuma prova para saber que aquela experiência teve validade para ela...
Pergunta: "É possível descrever o que é uma “experiência direta do sagrado?”

JB: Quando as pessoas tentam descrever a experiência direta do sagrado, a primeira coisa que dizem é: “Isto é indescritível”. Não há palavras para ela. Após ter ouvido tantas experiências de quase-morte, e outras experiências de luz que as pessoas tiveram, passei por quatro experiências de luz pessoalmente. E tudo o que posso dizer é que é indescritível. Mas eu tentarei:

No caso de uma experiência de luz, você sente que uma luz viva, aquecedora e totalmente constituída de sabedoria e de Amor está brilhando, a partir de algum lugar fora de você, mas ao mesmo tempo saindo também de você, vindo do âmago de seu próprio coração. E você se sente banhado em uma sensação de misericórdia e compaixão, perdão e imensa sabedoria.

De alguma maneira você sente: “Tudo faz sentido” e qualquer coisa que você pense enquanto está na experiência de luz parece se encaixar de alguma forma num todo maior – mesmo as experiências assustadoras ou difíceis que possa ter tido e não ter podido compreender antes. Tudo vai para o lugar, tudo faz sentido, e você sabe que o Universo é realmente benevolente...
P. “Quando você fala de uma experiência de luz está falando, na verdade, de um encontro angelical?”

JB: Nos últimos cinco anos tem ressurgido o interesse em anjos, e de pessoas que tiveram experiências que atribuíram a eles. E minha impressão pessoal, quando conversei com elas sobre isso, é a de que eles aparecem de diversas maneiras.

Muitas vezes as pessoas dirão que o que vêem é um tipo de luz que gira, uma sensação de luz, porém mais que isso, é um sentimento particular, um sentimento físico, quase que como ser envolto ou abraçado por asas, e uma sensação de ser confortado diretamente.

Algumas vezes é um leve roçar ao longo do corpo ou, antes, a sensação de ter caído em estado de graça. Sentindo que você não está mais só no ambiente, mas que coisas lhe estão sendo ditas ou que você está sendo cuidado ou assistido...


P. “Existe diferença entre nossos eus superiores e aquilo a que nos referimos como anjos?”

JB: Ninguém sabe realmente o que é um anjo. Os budistas dizem que, em algum nível, tudo o que você vê ao seu redor é uma projeção de sua própria consciência, de modo que todos os anjos e todos os demônios estão em você, projetados no mundo exterior. Outros diriam: “Não, eles possuem uma realidade independente”. A verdade é que não acredito que possamos responder a essa questão.

Fascina-me que, agora, a moderna psicologia e a antiga sabedoria de várias tradições espirituais estejam próximas na descrição de o Eu superior. Sabemos, por exemplo, que muitas pessoas que sofreram abusos formam múltiplas personalidades. Elas aprenderam, literalmente, a se colocar ao lado de si próprias quando foram traumatizadas na infância e a se dissociar do que está acontecendo.

Há alguns anos o psiquiatra de nome Ralph Allison estava tratando vítimas de múltiplas personalidades, fazendo-as regredir hipnoticamente à origem do trauma. Ele descobriu que cada personalidade contaria a história de como nasceu e como veio ao mundo.

Mas havia sempre também uma personalidade com uma história bem diferente para contar. Esta diz coisas como “tenho estado com essa pessoa desde antes de nascer, e permanecerei com ela depois que morrer”. E, com frequência, se descrevia como um condutor para a sabedoria superior ou mesmo como um canal para o Amor de Deus. Independentemente das crenças religiosas da pessoa, ou da falta delas, a descrição era sempre a mesma...



Quando li a descrição de Allison, disse: “Puxa, isto soa exatamente como os Upanixades”. Algumas das antigas tradições do Oriente dizem que, dentro de cada um de nós, existe um Eu essencial, um Eu superior, que na verdade não é passível de nascimento e morte. E, independentemente do que acontece conosco em nossas vidas, ele jamais pode ser aviltado, jamais pode ser maculado.

 
Não pode ser cortado pela faca ou atingido pela pedra. Os budistas também têm uma denominação para isso. Chamam-no de o seu rigpa, a sua natureza verdadeira, e dizem que é como um espelho – reflete a fantasia e o espetáculo da vida, mas permanece ele mesmo completamente puro.
 Penso que é com o que as pessoas se deparam quando têm uma experiência de quase-morte. Elas encontram a pureza da sua alma, que está lá, além  de todas as dificuldades que experimentaram nesta vida.
 
P. "Então a alma poderia apenas ser outra palavra para o eu superior?"

JB: Eu diria que a alma e o eu superior parecem certamente ser a mesma coisa.

P. "Falamos sobre luz e anjos. E quanto à escuridão? Ela também faz parte do seu superior?"

JB: Somos um país que, em geral, adora histórias boas. Amamos os finais felizes, as histórias de luz, mas gostaríamos de reprimir a escuridão. O que na minha opinião é bastante unilateral. Há uma grande citação de Jung que diz: "Você não se torna iluminado só imaginando figuras de luz. Em essência, o caminho para a iluminação é o de se voltar para as trevas e encará-las"...

Eu acho que isso é verdade. Você nem mesmo alcança o ponto onde vem a reconhecer o que é felicidade - que é algo interno, não algo que vem de fora - até que atravesse um período de trevas.

Uma coisa que realmente apreciei nos anos em que dirigi a clínica de corpo/mente, anos em que vi semanalmente dúzias de pessoas com câncer ou com AIDS, era que elas estavam atravessando uma verdadeira noite escura da alma. De repente, o chão sob os seus pés foi tirado de suas vidas e, quando isso acontece, você se depara face a face com as grandes questões: Quem sou eu? Qual é o significado da vida? O que é uma vida bem vivida? E normalmente não é senão quando chegamos àquele momento negro que nos fazemos estas grandes perguntas. Estamos muito ocupados ganhando a vida, levando as nossas vidas adiante.

Geralmente, naquele momento, as pessoas dirão: "Agora reconheço que as minhas prioridades não estavam corretas. Eu não sei o que é ter paz de espírito". E, através das trevas, elas começarão então a perguntar: "O que preciso fazer em minha vida para curar-me? Existe algum perdão que necessite ser dado? O que é importante para mim?"
 

Com frequência, as pessoas dizem que o que reconheceram como mais importante, no momento da escuridão, foram os três Fs (efes). Sua Fé, pacificar-se com o que era a sua ideia de Deus, sua alma, o universo. Sua Família. E seus Friends (amigos, em inglês), porque é onde o amor está, nos seus relacionamentos.

"E é aí por onde entra a luz, mas não antes de encararmos a fragmentação que possa existir em nossa família de origem, a fragmentação que sentimos por não nos amarmos. E este é o valor da escuridão - ela nos coloca face a face com o que necessita de cura em nossas vidas"... (Joan Borysenko (*). [Cf. 'Anjos: Os Mensageiros Misteriosos', p. 66, 70/75. Rex Hauck. Nova Era].

(*) Joan Borysenko, Ph.D., doutorada na Harvard Medical School, é co-fundadora da Mind/Body Health Sciences, Inc., em Boulder, Colorado. Autora de Minding the Body, Mending the Mind e Fire in the Soul: A New Psychology of Spiritual Optimism. Bióloga celular, psicóloga licenciada, instrutora de ioga e meditação; e um dos arquitetos da nova síntese médica, chamada psiconeuroimunologia.
 Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).



Nenhum comentário:

Postar um comentário