anjinhos

sábado, 23 de agosto de 2014

A Interconexão Sincronicidade, Anjos da Guarda & Um Só Mundo – (David Richo - 'Milagres Inesperados').

(*) 'Somos seres espirituais vivendo a experiência humana'. Antes de nascer ‘cada um escolhe a sua cruz’, e atrai a categoria de anjos relacionada com o roteiro de vida, qualidades, imperfeições e potencialidades escolhidas para vivenciar no campo quântico de possibilidades, para ampliar a consciência. Problemas e crises são oportunidades de crescimento: "Quando as ocupações se nos propõem, devemos aceitá-las; quando as coisas acontecem em nossa vida, devemos procurar compreendê-las até o fundo". (Lü Dsu, sábio chinês). C.G. Jung, em 'O Segredo da Flor de Ouro', diz: "As universidades não são mais fonte de conhecimentos. As pessoas estão cansadas da especialização científica e do intelectualismo racional. Elas querem ouvir a verdade que não limite, mas amplie; que não obscureça, mas ilumine"... (Campos de Raphael).

 Mensagem de Aniversário. Anjo do Dia. 'LAOVIAH': "Deus louvado exaltado". Protege nascidos em: 23/08, 04/11, 16/01, 30/03 e 11/06. "Ínvoca-se este anjo para obter vitórias. I nflujen cia os grandes personagens que marcaram a história e ajuda o ser humano a obter graças pelo seu talento. A ajuda deste anjo será fornecida através das experiências da vida. Quem nasce sob esta influência descobre muitas coisas  que usa no seu dia-a-dia. É celebre pelos seus atos, melhorando sua personalidade a cada nova experiência vivida. Tem por todos com quem se relaciona, sentimentos fortes e duradouros, pois tem intensa capacidade de amar. É uma pessoa destinada ao sucesso. e a ter estabilidade financeira. Apaixonada por filosofia, compreende facilmente o mundo dos elementais. Enfrentará desafios, tanto na vida sentimental quanto na vida profissional. Fará sucesso em qualquer atividade, pois com sua coragem, nenhum obstáculo será grande o suficiente para detê-lo. Terá tendência para ser uma estrela do mundo político e na vida social. Poderá atuar como jornalista ou tornar-se um romancista célebre. Poderá também dedicar-se à arte, moda, decoração e ao artesanato". Saiba mais: 'Laoviah'. 11º Anjo. Categoria: 'Querubins'. [Fonte: viverempaz.com].
QUERUBINS: "Categoria de anjos que auxiliam para que o Plano Divino seja cumprido, e os que guardam os Registros Sagrados. Segundo diversas fontes, os Querubins são os Guardiães da Luz z e das Estrelas. Anjo Raziel é o seu Príncipe e conhecido como o Anjo dos Mistérios e também como o Príncipe do Conhecimento e o Guardião da Originalidade... As pessoas cuja data de nascimento é regida pelos Querubins, via de regra possuem sentimentos profundos e estáveis. Dificilmente conseguem disfarçar quando n ão gostam de determinado fato, pessoa ou local. São amigas leais, carinhosas, generosas, tímidas, além de boas confidentes, pois têm a habilidade de saber ouvir com atenção. Normalmente não são materialistas nem possuem apego ao dinheiro e sentem-se felizes em usá-lo para ajudar os mais necessitados. Têm caráter forte e marcante, além de serem dotadas de grande senso de estética. Devido a uma série de acontecimentos vivenciados na maioria das vezes na adolescência, pressões familiares ou regras moralistas, podem levar tempo para se decidirem a casar e constituir família, mas acabam por se transformarem nos melhores cônjuges, além de se tornarem excelentes pais. Possuem senso de humor extremamente aguçado". Fonte: viverempaz.com].
LEMBRETE: Embora a infância esteja pré-determinada, é-nos dado mudar o roteiro da vida a partir da adolescência e vida adulta: seja para um 'Bem Superior', rumo ao Alto; ou para baixo, o 'mal'... Cada ato libera certa energia quântica no campo eletromagnético da aura, circula e retorna na energia equivalente, benéfica ou maléfica. E assim vamos 'vivendo e aprendendo' na Escola da Vida. (Campos de Raphael).
'VIVENDO E APRENDENDO' (Click):
3. Amor de mãe. Beija-flor cuida de filhote caído do ninho. (Publicado no Youtube por ‘birdvett’, em 14/09/2009. [Ano que iniciei este trabalho solidário de informação sobre Anjos]... O vídeo, informa:“Filhote de beija-flor que caiu do ninho e devido à confiança de sua mãe é alimentado na mão de quem o ajudou... Esse vídeo foi gravado em Campo Grande, MS, na varanda da casa dos meus pais. - Esse é o original!!! ('birdvett').
Amor de mãe. Beija-flor cuida de filhote caído do ninho. (Publicado no Youtube por ‘birdvett’, em 14/09/2009. (Ano que iniciei meu trabalho solidário de informação, neste blogger). 'Birdvett', informa:“Filhote de beija-flor que caiu do ninho e devido à confiança de sua mãe é alimentado na mão de quem o ajudou... Esse vídeo foi gravado em Campo Grande, MS, na varanda da casa dos meus pais. - Esse é o original!!!”
“A diferença entre o cosmos e o homem é só degrau, não de essência... A natureza exprime algo que a transcende”. (Mircea Eliade). 

“O fato mais importante que a sincronicidade revela é o caráter único do mundo e do nosso Eu interior. Trata-se, na verdade, de dois aspectos de uma só realidade: um universo que é simultaneamente exterior (lá fora) e interior (aqui dentro). John Muir disse da natureza: "Quando tentamos pegar algo em si mesmo, descobrimos estar ele vinculado com tudo o mais no universo". Temos uma mente não local, uma psique sem limitações. A inexistência de dentro/fora significa a ausência de limitações.

Vivemos numa órbita natural que também é ilimitada em sua interconexão. A teoria quântica na física moderna reconhece e confirma isso quando considera as partículas não como massa, mas como interconexões: a vinculação das coisas são as as coisas. Como é significativo o fato de a definição mais simples de espiritualidade de Santo Tomás de Aquino ser a interconexão com todas as coisas!

psique plenamente estendida inclui o “mundo exterior”. Jung diz: “A psique não está localizada no espaço... A psique não está em nós; nós estamos na psique... A Alma se encontra principalmente fora do corpo... Psique e corpo não são entidades distintas, mas uma só e a mesma vida... Em última análise, cada vida individual equivale à vida eterna da espécie”...
Há algo em nós que nos transcende. Trata-se da mesma coisa que nos acena a partir da natureza. O mundo interior do ego e o mundo exterior da natureza são facetas do Self cósmico. O alquimista medieval Sendivógio comentou: A maior parte da alma está fora do corpo”. Nossa mente não é mais o nosso crânio do que Dan Rather é a nossa televisão. O cérebro é apenas a região mais local da mente. Vemos outra vez que o trabalho na alma é trabalho no mundo! “A alma é o universo! – escreveu Meister Eckhart.

Na época medieval a expressão unus  mundus, 'um mundo', referia-se à unidade entre matéria e espírito em permanente comunicação. Joseph Campbell resume em belas palavras a implicação: “O herói e seu deus... são o lado exterior e interior de um único mistério auto-refletido que é idêntico ao mistério do mundo manifesto”.

A psique e o cosmos são um holograma: tudo de todas as coisas está em toda parte de tudo. Cada célula nossa é um holograma do universo. Toda existência é um contínuo de criação contínua que ainda está em progresso rítmico. O cosmos descobriu mesmo um caminho para tornar-se consciente num grau elevado e potente: Eu sou esse caminho...
A sincronicidade é uma afirmação da existência de um unus mundus, uma única realidade com muitos locais. Nenhum dualismo significa que os opostos sejam relativos nem independentes. Nada é mutuamente exclusivo. A realidade não se compõe de todas as partes, mas de todos-partes. “A manifestação (aquilo que vemos) é dual, mas a realidade é idêntica... A realidade da matéria é o eu psíquico”, diz Mircea Eliade.

Marsílio Ficino, filósofo florentino da Renascença, via o universo como um ser vivo que tem o cosmos por corpo e a psique por alma. A sincronicidade transcende e contém tanto psique como matéria, dado que as sincronicidades são momentos esporádicos em que a unidade entre psique e matéria se torna manifesta. Cada sincronicidade é uma epifania dessa unidade. Cada sincronicidade é a garantia da morte do dualismo.

David Bohm vê o universo como um todo indivisível, e o mundo observado como uma ordem “explicada”, desdobrada de uma ordem “implicada”, ”dobrada”, subjacente. Ambas as ordens coexistem hologramaticamente (cada parte contém o todo).

Matéria e consciência têm, uma e outra, uma ordem explicada (manifesta) e uma ordem implicada subjacente (oculta). “Aquilo que é”, é na realidade uma unidade psicofísica por trás da qual está um “vasto mar de energia” que se desdobra no espaço e no tempo. A sincronicidade também é descrita assim, o mesmo ocorrendo com tudo o que nos cerca...
Nosso corpo não é limitado pelo físico, mas se estende pelo universo – ele mesmo sendo o nosso corpo mais amplo. A ecologia não se refere, pois, a cuidarmos da natureza como um objeto, mas como extensão da nossa própria consciência. Nosso corpo é, em termos físicos, um dos planos limitados em que podem ocorrer eventos espirituais. Hologramaticamente, ele não é um material limitado, mas uma integração ilimitada.

Temer as ondas em andamento da mudança é, nesse contexto, não confiar no unus mundus, na unidade entre o mundo da natureza e o nosso mundo interior. Como vimos, há em nós algo que independe da nossa história pessoal, isto é, algo de cunho arquetípico.

Os arquétipos são psicóides: contêm tanto a psique como a matéria. A natureza é, desse modo, uma força adjuvante em nosso destino. A natureza transforma morte em vida e promove continuamente a união dos opostos. A mesma síntese acontece nos sonhos e na sincronicidade. Neles, consciente e inconsciente revelam a nossa inclinação afirmadora de vida e à atualização do Self/Auto-atualização.

O desejo se interpõe à nossa visão disto por ser algo que acreditamos precisar no exterior, confirmando a ilusão do “lá fora”. A sincronicidade como coincidência entre acontecimentos exteriores e processos interiores confirma o caráter único do fora e do dentro e sua paixão por se comunicar um com o outro..
Trata-se de outra confirmação de que os nossos sonhos, os mitos antigos e a filosofia perene – arquetípica – todos dizem a mesma coisa: “Na luz sempiterna da consciência sem fronteiras, o que um dia imaginamos ser um eu isolado aqui dentro mostra formar com o cosmos lá fora uma única realidade”, diz Ken Wilber em 'No Boundary'. Tudo é sincronicidade porque tudo é tudo!

Claude Levi-Bruhl, antropólogo francês, criou uma expressão para mostrar a identificação inconsciente da humanidade com o mundo participation mystique. Essa fusão era simbolizada, em épocas primitivas, por um 'totem' (guardião), um animal ancestral.

A crença na unidade de todas as coisas significa que o ego foi deposto e que a materialidade e o espírito são aspectos da mesma realidade unitária. Mircea Eliade escreve: “Na hierofania mais elementar, tudo é declarado. A manifestação do sagrado numa pedra ou numa árvore não é menos misteriosa nem menos pobre do que a sua manifestação como Deus. O processo de sacralização da realidade é o mesmo; as formas assumidas... na consciência religiosa do homem diferem”.

A realidade do mundo fenomênico é uma maré constante de transformação com a qual temos de aprender a fluir. Uma fixação na ordem apolínea cria um obstáculo a essa percepção dionisíaca, com seus surpreendentes desafios...
                              
Para os gregos antigos, o mundo não sobreviveria se os Mistérios Eleusinos (ritos de morte/ressurreição) não fossem realizados. Trata-se de uma maneira de dizer que o nosso trabalho individual e o trabalho cósmico são interdependentes e formam uma só unidade.
É a unidade entre Self e Mundo que o ego encobre com sua pompa e circunstância, proclamando a si mesmo tudo o que existe. A unidade recuperada é, portanto, o real sentido da expressão consciência superior.

O Self é, a um só tempo, duas realidades: uma identidade interior íntima e um espelho da natureza/espírito: “Você tem dentro de si rebanhos de gado e de carneiros, bem como as aves do ar. Você é um mundo em miniatura, com um sol, uma lua e muitas estrelas”, diz um sermão de Orígenes...
A natureza é uma teofania, uma epifania do divino, e nós somos partes, e não oponentes da natureza. O próprio equilíbrio da natureza é sincronicidade. Há mesmo um outro nível de sincronicidade mais profundo na natureza: sua beleza particular neste planeta é o único nível de beleza capaz de satisfazer seres humanos tão sofisticados como nós. Somente esta qualidade de natureza pode estar a altura do senso estético que possuímos.

O animal está equipado com toda uma gama de comportamento apropriado ao seu ambiente. Quando ocorre um estímulo, um mecanismo automático inato entra em ação e a reação apropriada é gerada. O animal age no melhor interesse da sua sobrevivência (e do todo da natureza).

Do mesmo modo, herdamos predisposições arquetípicas que nos dotam de tudo o que precisamos para florescer em nosso ambiente físico, emocional e espiritual. Essas predisposições assemelham-se a um equipamento de adaptação da nossa psique que nos ajuda a reagir diante dos acontecimentos e das condições da vida de maneira espiritual, isto é, orientada para a nossa destinação.

É de causar admiração perceber que os equipamentos da natureza e da psique são os mesmos. Eles são a homeostase, a cura de si mesmo, o autocontrole, o crescimento regulado, a renovação cíclica. Estão voltados para o equilíbrio, tanto na ecologia da natureza como em nossa psique...

Eis um exemplo de semelhança: o corpo humano se protege da gula gerando uma sensação de satisfação depois de ingerir o suficiente. A psique tem um modo de fazer o mesmo: a compensação através dos sonhos. Um sonho apresenta uma imagem ou um tema que nos mostra o ponto no qual estamos ficando unilaterais, demasiado pesados, na vida cotidiana. Trata-se da função transcendente da psique, na qual uma imagem de cura irrompe e diz a verdade ao ego.

Agora parece claro que a sincronicidade é o ponto de encontro de dois domínios: matéria e psique. Nela, o arquétipo do mundo une-se ao arquétipo do Self. A sincronicidade é o símbolo e a manifestação da unidade última do mundo interior da psique e o mundo exterior da matéria.

Trata-se do equivalente parapsicológico do unus mundus – assim como uma mandala é o equivalente psíquico do unus mundus. Num e noutro, o psíquico e o físico são uma moeda (essencial) com dois lados (existenciais). Disso resulta um único valor, e as distinções desaparecem. [Extraído de ‘Milagres Inesperados’,  p. 96/100. David Richo. Pensamento. Título original: ‘Unexpected Miracles’. 1998].
Veja também: 
 Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).

Nenhum comentário:

Postar um comentário