anjinhos

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Fluxo da Vida: Rio das Ostras e o Mistério Insondável

“A vida conduz o homem responsável
Por caminhos tortuosos, mutáveis.
Muitas vezes o curso é bloqueado, em outras segue desimpedido.
Ora pensamentos sublimes vertem-se livremente em palavras,
Ora o pesado fardo da sabedoria deve fechar-se no silêncio.
Mas quando duas pessoas estão unidas no íntimo de seus corações,
Podem romper até mesmo a resistência do ferro e do bronze.
E quando duas pessoas se compreendem plenamente,
No íntimo de seus corações,
Suas palavras tornam-se doces e fortes, como fragrância das orquídeas”.
(Confúcio).
[Cf. ‘I Ching’, p. 65. Richard Wilhelm / C. G. Jung. Pensamento].

V. talvez já tenha lido aqui: “Todas as pessoas, todos os episódios de sua vida, aí estão porque você mesmo escolheu. O que fazer com eles depende de você”. (Richard Bach).

A verdade contida nessas palavras pode ser comprovada pelas características de nosso anjo guardião, que nos revela as lições de vida que você e eu escolhemos antes de nascer para experienciar nesta existência. E devido o interesse despertado sobre esse tema, abrirei um preâmbulo antes de contar algo mais de nossa própria história.

A vida profissional pode ser altamente gratificante se gostamos do que fazemos. “Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida”. (Confúcio). Ocorre, porém freqüentemente que jovens universitários sentem-se indecisos sobre qual profissão seguir. Eu mesmo fiz o Curso de Orientação Profissional na Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, para descobrir a profissão mais adequada ao meu tipo de personalidade e temperamento.

E o seu anjo pode dar-lhe a "dica" que você precisa; basta conhecer as qualidades, potencialidades e profissões reveladas pelo seu anjo guardião, ao acessar nosso texto "Conheça o Seu Anjo da Guarda" ou a página de Monica Buonfiglio (Clic): "Descubra seu anjo pelo mês de nascimento". “Não fico envergonhado de contar-lhes o que deve ser contado – que estou sob a orientação de mensageiros do céu, de dia e de noite”. (William Blake). [Cf. ‘Anjos Mensageiros da Luz’, p. 53. Terry Linn Taylor. Círculo do Livro].

Se você já conhece os textos do site www.magisterlux.com/Ensinos-Luz, além deste portal, deve ter notado que mantemos certa impessoalidade no compromisso com a "verdade que amplia e ilumina". Mas parece que chegou a hora de contar algo mais de nossas histórias pessoais, visto que o fluxo do destino nos impulsionou a deixar para trás a etapa da vida em Nova Friburgo, bem como os anjos nos guiaram para uma nova moradia, mais favorável aos meus pequenos irmãos de jornada, em Rio das Ostras... V. já ouviu que: "Deus escreve certo por linhas tortas?" - A experiência da vida mostra que ‘Deus em nós’, o ser interior imortal, pode constelar um evento dramático, acidente, doença, catástrofe ou uma experiência de quase-morte, que serve de aviso ou até mesmo para que despertemos para uma esquecida missão.

Hoje se popularizou dizer, graças a uma novela na TV, de que certas coisas acontecem por estar "escrito nas estrelas"... Na verdade isso é válido para a primeira etapa da existência; a partir da fase adulta pode surgir mais de uma oportunidade para mudar o rumo da vida, como aconteceu conosco ainda recém-casados...
Antes de relatar, porém o que ocorreu conosco, contaremos a história de um dos que fundaram a conhecida organização de os "Alcoólicos Anônimos", extraída da obra 'Pergunte ao Seu Anjo':

“Um desses avisos foi dado a Bill Wilson no inverno de 1934, internado num hospital para alcoólatras em Nova York. O médico havia lhe dito que, se não parasse de beber, sofreria danos permanentes no cérebro e a morte seria iminente. Sozinho, mergulhado num profundo desespero e tendo lutado durante anos para parar de beber, ele clamou pela ajuda de Deus...

Subitamente, uma forte luz branca encheu o quarto. Para Bill Wilson, a luz era a Presença [na verdade, seu anjo da guarda], um ser que o encheu de alegria e, tirando-o do desespero, levou-o para a esperança e a transformação. Ele nunca mais voltou a beber”. >

“Quando ele pediu a ajuda de Deus, porém, surgiu um mensageiro, uma luz orientadora, que ele chamaria de anjo da guarda [dos Alcoólicos Anônimos] e todos os programas de recuperação de doze passos foram nele inspirados. >

Talvez o Ser de Luz fosse Rafael, o arcanjo cuja especialidade é a cura [no hebraico, rapha, curar]. Caso esteja participando de um programa de recuperação, você pode pôr-se sob os cuidados de Rafael e de seus próprios guardiães”. [Cf. 'Pergunte ao Seu Anjo’, p. 229. Pensamento]. Aprende-se muito com ‘Experiências de Quase-Morte’ (EQM) das pessoas. Por isso às divulgamos no site, como por exemplo (Clic): ‘A Experiência Cósmica de Carl Jung'; ‘A Morte Não Existe’. Dr. George Rodonaia e ‘A Jornada nas Estrelas’ de Mellen-Thomas’. Mas a EQM que mudou o rumo de nosso destino foi a de minha mulher.

Educado no catolicismo, aprendi a rezar para um Deus distante "láaa no céu" e induzido a pensar que vivemos apenas uma vez (“tu és pó e ao pó voltarás”); experiências místicas eram reservadas aos santos, não a pecadores.

Acontece que "nasci em pecado", porque meu pai embora católico fervoroso não pôde casar com minha mãe, abandonada pelo primeiro marido, enquanto não ficou viúva deste. Ela era de Virgem, eu de Touro e desde cedo senti forte atração por mulheres; afinal não fui eu que inventei o sexo. E hoje brinco: "nasci de uma Virgem, mas não sou santo"...

Aos 34 anos de idade, porém nas ruínas do ‘Castelo do Graal’, nos Pirineus franceses, experienciei a energia-amor que interliga nosso ser interior (o 'Pai em secreto', 'Deus em nós') a todos os seres e a todas as coisas. E nesse instante, que fluiu do meu coração essa energia divina, ecoou de tudo uma imediata resposta de amor, do âmago da pequenina flor na relva, das pedrinhas e montanhas ao redor!

Ali minha consciência se desvencilhou dos ‘chips’ religiosos implantados na infância, e pude discernir as duas naturezas em mim: “Puxa vida!” Não sou apenas pó, nem concebido em pecado. Minha veste carnal é de tessitura estelar, meu ser interior, porém é de uma outra natureza, imortal, mais além das estrelas... Agora sei, por comprovação direta, que no âmago de toda manifestação e formas de vida no Universo, como dentro de cada um de nós, o "pequeno universo', existe e flui uma só essência-energia: Amor! E compreendi por que os monges cristãos cátaros bradavam a seus algozes, “Deus é Amor!” E Paulo, após sua experiência iniciática no Caminho de Damasco, podia também testificar aos atenienses sobre o seu "Deus Desconhecido": "Se bem que não está longe de nós, porque nele vivemos, e nos movemos e existimos".

Revendo os acontecimentos, vejo que os anjos ou "agentes espirituais" já atuavam em nossas vidas através da 'sincronicidade' e cartas do Tarô. E muito embora ainda ignorássemos as tessituras consteladas pelo ser interior, também nos foi dado, como no caso de Bill Wilson, mudar o rumo do destino, como você verá a seguir...Tudo começou no Rio de Janeiro, às vésperas de uma viagem em férias de trabalho, quando "por acaso" numa praça da Enseada de Botafogo encontrei àquela que, sem eu saber, viria a ser uma companheira de jornada espiritual nesta existência.

Dei-lhe o número do telefone, para nos falar quando eu voltasse dali a duas semanas, e viajei para Vitória no Espírito Santo, a convite de uma irmã por parte de mãe. E na véspera de retornar ao Rio, foi ela que insistiu em levar-me a sua amiga que lia cartas de Tarô. Imagine só, para saber com quem eu iria casar! Pode?!

Na época, ainda ignorante das coisas espirituais, nada sabia sobre Tarô e I Ching, oráculos que podem ser instrumentos de nosso ser interior. A jovem pitonisa deitou as cartas sobre a mesa e às revelava uma a uma, dando-me informações. E disse:

“Você já conheceu, ou vai conhecer uma loura de olhos azuis, que trabalha numa grande cidade e a família mora no interior; vocês vão ficar afastados por uma longa viagem; haverá uma troca assídua de correspondência até chegar a uma carta semanal. Na volta dessa viagem vocês se casarão”...

Mas, na impaciente impulsividade dos 23 anos, eu a interrompi: “Desculpe, está tudo errado! Aprecio as louras, mas pretendo me casar com uma morena; não sou de escrever cartas, nem namorar alguém longe; gosto de mulher bem perto de mim”.

A pitonisa sorriu, mas salientou: “Não sou eu que o está dizendo. São as cartas! Voltou a erguê-las, e me fitando num olhar profundo, falou com seriedade: “As cartas dizem que será muito feliz, mas será por pouco tempo; porque logo ela morrerá”...

Descreveu-me em seguida a segunda etapa; nela eu daria continuidade aos estudos, a formatura e a realização profissional. E na terceira etapa da vida, acumularia bens e casaria com uma mulher rica, morena”.

Essa parte mexeu comigo; não que quisesse casar-me com mulher rica, mas vivera uma infância cheia de dificuldades; como era o mais velho de três irmãos, aos dez anos já trabalhava para ajudar no sustento da casa; e aos treze fui para o Rio de Janeiro trabalhar ao lado de meu pai, e só dois anos mais tarde pôde vir nossa família...

E na hora da leitura desse oráculo, nem me dei conta de que antes da viagem conhecera e deixara o número do meu telefone com uma loura de olhos azuis na grande cidade, o Rio. Mas apaguei da mente tudo aquilo como uma previsão absurda.

No entanto, só caí em mim de que surpreendentemente as coisas estavam acontecendo como previsto pelo oráculo seis meses depois, na hora em que escrevia uma carta propondo casamento à loura que, àquelas alturas, estava nos EUA trabalhando como governanta da filha de um milionário sírio-libanês.

E assim que ela retornou ao Brasil, subi a Nova Friburgo, onde moravam seus pais, para oficializar o noivado e casamos dois meses depois. Aos seis meses de casados, porém ela precisou ser internada de emergência e na ambulância, quase sem voz, disse: “Vou me despedir de você aqui; desde que engravidei tive pressentimento de que morreria, mas eu nada lhe disse, por que você queria muito um filho”...

Eu sabia que ali se fechava a primeira etapa do oráculo, mas buscara uma companheira para a vida toda, não queria perdê-la e a dor fez aflorar forças do âmago do meu coração, e dizer: “Não! Tire isso da cabeça, porque não vai acontecer!” “O destino com freqüência traz felizes reviravoltas em formas que ao início parecem estranhas”. [‘I Ching’, p. 45. Richard Wilhelm/C. G. Jung].

Assim que chegou ao hospital público, viram a gravidade do caso e foi levada imediatamente para sala de operações de emergência. Após operá-la, o médico me disse que se tivesse demorado mais dez minutos para interná-la ela teria morrido...

Naquela noite eu não conseguia dormir e num “flash” tudo passou na mente, desde o momento que a conheci e as revelações do oráculo. E uma das coisas que causara forte ressonância em mim, foi quando me dissera: "O valor das pessoas não está nas posses exteriores, como dinheiro, propriedades, carros, títulos, que um ladrão pode roubar. E sim no valor que possuem dentro de si mesmas: caráter, honestidade, bondade, sinceridade. Isto ninguém nos pode tirar!"

Então tomei a decisão de pedir para que sobrevivesse e orei um 'Pai-Nosso' do fundo da alma; como resposta, aconteceu nossa primeira experiência interior: do âmago do coração se projetou, como na tela de cinema, dois caminhos que se bifurcavam à minha frente!

Embora não ouvisse nenhuma voz, “eu" sabia que estava numa encruzilhada da vida. O caminho da direita me levaria à realização financeira e profissional; o da esquerda se dirigia para a vida espiritual, e requeria a renúncia aos bens futuros revelados pelo oráculo, mas criaria a possibilidade de sua sobrevivência e juntos buscarmos o caminho espiritual.

E não tive dúvidas em optar por este caminho, e selei a decisão com o mantra final do Pai-Nosso: “Senhor, seja feita a Tua vontade e não a minha!” – Só não sabia que, naquele instante, fora do corpo físico, ela adentrava o mundo da alma.

Acompanhada e assistida por um ser amoroso, dia e noite, durante a semana toda que esteve internada após a operação tubárIa, ele a orientava no mundo da alma e a levava a lugares de ensino. E mesmo acordada, podia com ele dialogar e ouvir suas respostas; contou-me depois que ouvia sua voz dentro dela, no coração, e não de fora, no ouvido.

Esse detalhe é significativo, pois entidades do astral tentam influenciar as pessoas através do ouvido direito, como ocorreu a meu pai (enquanto rezava o rosário!) e uma voz começou a falar-lhe nesse ouvido para instruí-lo como proceder para afastar-me do caminho espiritual que eu começara a adentrar, e obrigar-me a voltar para a Igreja católica...

Se Deus e os anjos respeitam nosso livre-arbítrio até de errar, como se vê na parábola bíblica do Filho Pródigo, que entidade maléfica seria essa então?! Não importa. Isto aconteceu anos antes de minha experiência no Sul da França; depois disto, vendo que não conseguiriam desviar-me do caminho, deixaram-nos em paz.

E com minha mulher a tentativa foi diferente: quando no campo astral lhe surgiram figuras de santas e santos propondo assediando-a, o Ser de Luz alertou-a de que não se tratava de santificados, mas entidades astrais corporificados pela mentalização humana de imagens de santos, que criaram "vida" no mundo astral.

Salientou também de que ela perdera trinta anos de sua vida e não realizara a missão espiritual que antes escolhera. Mas, ainda podia voltar para cumpri-la. E disse-lhe que nos encontráramos para buscar juntos o caminho espiritual.

Na véspera de receber alta do hospital, anoitecia, quando ele lhe disse: "A minha missão ao seu lado terminou. Vou despedir-me porque tenho trabalho noutros lugares. Ela, porém disse: "Mas não sei o seu nome, nem de onde vem!" E sua resposta, foi: "Sou um sem nome, da Terra que não tem princípio nem fim. Adeus!" - Pela janela do hospital, ela viu então uma brilhante estrela que se afastava no céu e a voz dele se distanciando, "adeus, adeus"... Ainda no leito do hospital ela me relatou toda essa série de coisas, inclusive que este "Irmão das Estrelas" lhe salientara a importância de deixar de comer carne, pois a natureza nos oferece todo alimento necessário para a subsistência física, saudável, sem que precisemos matar os animais.

Além do mais, o sangue dos animais abatidos está repleto de sofrimento da hora de sua matança; por isso, o sangue contido na carne animal sobrecarrega nosso próprio sangue e oblitera a consciência, dificultando a vida espiritual e o acesso às verdades mais profundas.

Parece que isso despertou registros inconscientes de sua vida anterior como monja cristã cátara, visto que os cátaros eram vegetarianos. E antes mesmo de receber alta, seu organismo começou rejeitar carne, e eu, tocado pelas revelações, decidi acompanhá-la.

Depois de tudo isso, como eu ansiava por encontrar a Verdade, saímos na busca do Caminho; e após dois anos de buscas encontramos no Rio um núcleo de uma escola espiritual com sede na Europa. Sua filosofia de vida exigia dos alunos a abstenção, de carne, álcool, narcóticos, e seus ensinamentos tocaram nossa reminiscência espiritual. Outros detalhes dessas experiências você encontra aqui e ali, como no texto: “Cada um Escolhe a Sua Cruz”. “A água alcança sua meta fluindo ininterruptamente. Ela preenche todas as depressões antes de fluir adiante. O homem superior segue esse exemplo e procura fazer com que o bem se torne um atributo consolidado de seu caráter, e não apenas uma ocorrência ocasional e isolada. Do mesmo modo, o ensino também requer constância, pois a repetição da matéria permite que o aluno a assimile”... [Cf. ‘I CHING’, p. 104 (Hexagrama 29). Richard Wilhelm/C.G. Jung. Vozes].

Em “ANJOS, SINAIS & COINCIDÊNCIAS SIGNIFICATIVAS”, revelei outras vivências nossas e agora contarei como o fluxo da vida e os anjos, depois que minha companheira de jornada deixou suas vestes físicas em julho último, nos guiou para descobrir a nova moradia em Rio das Ostras...

Residíamos há dois ciclos de sete anos em Nova Friburgo, aonde minha esposa fôra criada e sentia-se bem no clima frio. Eu ao contrário, cresci no clima quente do Rio de Janeiro e melhor saúde junto ao mar. Porém, cônscio da cegueira de nascença e limitação humanas orei ao “Pai em secreto” que os anjos da sincronicidade nos guiassem a nova moradia não só mais saudável para meus “filhotes”’, como favorável para eu dar continuidade a este trabalho solidário. Na semana seguinte à cremação que ela solicitara, minha irmã caçula e eu descemos a Rio das Ostras e na primeira imobiliária que entramos, a corretora nos trouxe para ver uma casa para alugar. E sentimos intuitivamente ser a casa indicada. Em agosto descemos para assinar o contrato e espargir as cinzas da cremação nas pedras da Praia das Tartarugas. Mudamos em setembro, ajardinamos a casa com plantas, grama, pedras e uma fonte murmurante para os pássaros terem água para beber e refrescar-se.

Em fins de outubro abríamos caixas na varanda, desfazendo de papéis e antigos álbuns de fotos, inclusive da família de minha esposa, quando caiu no chão certa anotação; parecia minha, mas sem título nem autoria, que sempre anoto. Isto ocorreu ao redor do seu aniversário: 28.10.10.

Vi então ser um poema e o conteúdo encheu de lágrimas os meus olhos; parecia até que o deixara para mim. No entanto, eu não chorara na hora de sua partida; na verdade, acordei no dia seguinte com uma sensação de alegria e contentamento, sentindo que ela estava feliz e em paz, pois cumprira sua missão espiritual..

E finalizo a história partilhando com vocês o citado poema, que intitulei de "Mistério Insondável". ‘Mistério Insondável’
“Se você me ama, não chore. /
Se conhecesse o mistério insondável
Do lugar onde me encontro...
Se você pudesse ver e sentir
O que eu sinto e vejo nesses horizontes sem fim
E nesta luz que tudo alcança e penetra,
Você jamais choraria por mim.
Estou agora absorvido pelo encanto de Deus,
Pelas suas expressões de infinita beleza.
Em confronto com esta nova vida,
As coisas do tempo passado
São pequenas e insignificantes.
Conservo ainda todo o meu afeto por você,
Uma ternura que jamais lhe pude em verdade revelar.
Amamo-nos ternamente em vida,
Mas tudo era muito fugaz e limitado.
Vivo na serena expectativa
De sua chegada um dia... entre nós.
Pense em mim assim: nas suas lutas,
Pense nesta maravilhosa morada
Onde não existe morte,
Onde juntos viveremos no enlevo
Mais puro e mais intenso,
Junto à fonte inesgotável da alegria e do amor.
Se você verdadeiramente me ama,
Não chore mais por mim...
(Autoria desconhecida).

Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).
[Rio das Ostras, 24 de novembro. Revisto, 12.12.10].

Nenhum comentário:

Postar um comentário